Mandamentos Recíprocos

CONFESSEM SEUS PECADOS
“Confessai, pois, os vossos pecados uns aos outros e orai uns pelos outros, para serdes curados. Muito pode, por sua eficácia, a súplica do justo” Tg 5:16
Confessamos nossos pecados a Deus para sermos perdoados (I Jo 1:9) e aos irmãos para sermos curados.

SUJEITAI-VOS
“sujeitando-vos uns aos outros no temor de Cristo” Ef 5:21
A sujeição mútua não implica obrigatoriamente em mútua obediência, mas em uma atitude de respeito e reconhecimento da presença de Jesus na vida de meus irmãos; por mais simples que sejam, independente do ministério que exerçam, como mencionado anteriormente. Quando não procuramos estabelecer nossos próprios interesses (I Co 10:24), nos sujeitamos aos nossos irmãos com facilidade, preferindo-nos em honra (Rm 12:10).

SUPORTAI-VOS
“Rogo-vos, pois, eu, o prisioneiro no Senhor, que andeis de modo digno da vocação a que fostes chamados, com toda a humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros em amor,“ Ef 4:1-2;Cl 3:13-14

Suportar nossos irmãos exigirá de nossa parte um reconhecimento de que as mudanças de atitude que julgamos devam acontecer na vida de alguém é obra do Espírito e não nossa, por isto Paulo diz que precisamos primeiramente de paciência. Por mais cheios de conhecimento que possamos estar, não podemos esquecer que Paulo disse que o conhecimento não basta para nos capacitar para exortar alguém, precisamos estar cheios de bondade também (Rm 15:14), esta bondade é que nos supre de paciência para esperarmos o tempo de Deus. Lembrando que suportar fraquezas não significa suportar pecados deliberados (I Tes 5:12-14), que devem receber o tratamento ensinado por Jesus em Mateus 18:15-17.

PERDOAI-VOS
“Antes, sede uns para com os outros benignos, compassivos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus, em Cristo, vos perdoou” Ef 4:32: Gl 6:1
O perdão, da mesma forma que o amor, é um mandamento incondicional que não depende dos nossos sentimentos em relação a pessoa, mas de nossa vontade. Pedro percebeu a dificuldade ao perguntar se deveria perdoar apenas sete vezes e Jesus respondeu 490 vezes. Nossos sentimentos não aceitam isto com facilidade, principalmente quando o alvo da injustiça formos nós mesmos, nossa primeira tendência é de buscar justiça e não perdoar. Devemos lembrar do exemplo de Jesus que sofreu como ovelha muda perante seus tosquiadores e do ensino deixado por Pedro em sua primeira epístola, onde diz:
“Porque é louvável que, por motivo de sua consciência para com Deus, alguém suporte aflições sofrendo injustamente”
(2:19). Apenas discípulos cheios de mansidão e bondade perdoam como Cristo ordenou, pois lembram o quanto foram perdoados também (Mt 18:23-35).

EDIFICAI-VOS
“Consolai-vos, pois, uns aos outros e edificai-vos reciprocamente, como também estais fazendo” I Tes 5:11; Ef 4:12-13, Cl 2:19, I Pe 4:10
A edificação da igreja é o objetivo do ministério comum de todos os santos. Importante ressaltar que as passagens que falam de edificação falam de juntas e ligamentos. Não há edificação sem fortalecimento das juntas e ligamentos no corpo; sem relacionamentos fortes ou sem alianças. Todos nós precisamos saber nosso lugar no corpo.

INSTRUI-VOS E ACONSELHAI-VOS
“Habite, ricamente, em vós a palavra de Cristo; instruí-vos e aconselhai-vos mutuamente em toda a sabedoria, louvando a Deus, com salmos, e hinos, e cânticos espirituais, com gratidão, em vosso coração” Cl 3:16

 

Versiculos

Oséias, 6:3 - Conheçamos e prossigamos em conhecer ao Senhor; como a alva, a sua vinda é certa; e ele descerá sobre nós como a chuva, como chuva serôdia que rega a terra.

Visite-nos

Brasil - São Paulo - SP
Endereço: R. Nova dos Portugueses, 483
(proximo a estação do metro Santana)
Bairro:  Santa Teresinha
Fone: 2236-0720
Email: contato@igrejaplenadagraca.com