Infidelidade Conjugal

infidelidade1.Infidelidade conjugal. Por que é importante falar e estar alerta sobre o assunto?
A infidelidade é como uma mina explosiva enterrada no caminho do casal. Quem ali pisa morre ou fica amputado. Nada é mais destruidor para um relacionamento do que uma traição. Mesmo quando há o perdão, as marcas da infidelidade ficam como um memorial sinistro do que uma escolha errada pode acarretar.

Sofre o cônjuge, sofrem os filhos, sofre o adúltero. Assim como a terra foi amaldiçoada quando Adão pecou, toda a família e negócios de quem adultera são desastrosamente afetados e a reconstrução é sempre dolorosa, embora possível.

A base que sustenta o relacionamento conjugal é a confiança, e para construir confiança é necessário trabalhar só com a verdade e isso tem a ver com fidelidade. Orientar os casais sobre como vencer a tentação e se manter fiel é imprescindível para a manutenção do casamento. A Palavra de Deus diz que: “O prudente vê um problema se aproximando e foge; o insensato entra de cabeça e quebra a cara. “ (Pv 27.12 – Biblia A Mensagem).

2.De que forma a infidelidade conjugal é concebida e quais são os sinais de alerta de que existe um potencial perigo para o casal?
Uma traição é precedida por sinais que os casais precisam estar muito atentos. O sinal número um é um esfriamento espiritual. O relacionamento com Deus fica difícil quando um pecado de impureza é abrigado no coração. Por vezes os sinais são sutis e a pessoa nem percebe. O culto fica sem graça, o devocional se torna mecânico e a alegria da salvação ficou para trás.

O sinal número dois é percebido em casa, quando a relação se torna somente fraterna. Os mimos e dengos típicos do casal deixam de existir e a “educação” passa a dirigir os diálogos. Esta sequência costuma preceder ou estar presente durante uma traição (de coração ou de fato): Quando há um distanciamento emocional, percebe-se a morte do diálogo e já não conversam mais; quando a prática do ato sexual se torna muito espaçada; um já não admira o outro como antes; ausência de elogios e declarações de amor são vistas; o cônjuge prefere fazer hora-extras do que voltar para casa mais cedo; ele ou ela começa a se produzir muito para sair, o que não acontecia antes; conversas no celular são apagadas; ele ou ela atende o telefone sempre escondido; quando marido ou mulher começa a confidenciar sua crise de casa com uma pessoa do mesmo sexo no trabalho, na escola ou na igreja, a situação já está perigosíssima. Esses são alguns dos sinais que podem evidenciar “infidelidade” no coração ou de fato.

3.Infidelidade conjugal trata-se apenas de ato sexual ilícito?
É claro que a infidelidade sexual é a mais discutida e a que traz prejuízos irreparáveis, porém, o casal precisa ser fiel na convivência social, sexo, educação dos filhos, religião, profissão, finanças, alegrias e tristezas. Se faltar fidelidade nessas áreas, todo o relacionamento será afetado.

A infidelidade nasce, acima de tudo, no coração. As queixas e as mágoas abrem caminho para a quebra do “encanto” inicial do casal. Como a murmuração e a queixa quebram a comunhão plena com Deus, busca-se um ou mais estímulos que possam compensar a falta da paz e o vazio que o orgulho causou. Um filme mais picante, uma conversa mais ousada com alguém do sexo oposto, um olhar demorado para o corpo de outras mulheres, o uso de roupas sensuais são “pequenas” transgressões que têm como alvo se sentir um pouco melhor. O pior é que quem age assim, normalmente culpa o outro pelos seus pecados. O adultério é em primeiro lugar contra Deus e depois contra o cônjuge. Deitar-se com outra pessoa, masturbar-se ou deleitar-se em conversas ilícitas é só a consequência que trará os efeitos já tratados anteriormente.

4.De forma resumida, o que a Bíblia fala sobre o tema?
Há um texto em Provérbios 5:15 que diz: “ Bebe água da tua fonte, e das correntes do teu poço”. Todo o contexto desse capitulo de Provérbios fala de forma figurada de sexo no casamento. No verso 15, diz “Bebe a água da tua fonte... do teu poço”. Beber água da fonte do outro ou da outra é infidelidade. A mulher é comparada a uma fonte. Não há ser humano capaz de tomar toda a água de uma cisterna. A figura é que há mais do que ele dá conta. Na relação sexual quem impõe o limite é o homem, que, uma vez tendo tido satisfeita a sua tensão sexual precisará de um tempo para estar pronto novamente. Uma mulher é capaz de dormir com quantos homens quiser em uma só noite! Ela é uma fonte exclusiva que só se deita com o marido, que nunca poderá secá-la e sempre haverá mais do que ele pode dar conta. Não há desculpas para alguém buscar outra pessoa fora do casamento.

O texto continua e adverte:“Sejam para ti só e não para os estranhos contigo” (Pv 5.17). Quem beber de fontes externas, que pertence a outros, pode expor a sua própria fonte aos estranhos. Quando a porta do adultério é aberta pelo homem, a sua mulher fica exposta ao mesmo pecado. As consequências são desastrosas.

O adúltero pode perder o respeito, a dignidade (Pv 5.13-32), a honra (Pv 5.9), pode fracassar nos negócios, pode perder a integridade física, morrer prematuramente (Pv 7.21-23) e se arruinar totalmente. Pior que tudo isso é ter a sua consciência maculada e incapaz de enxergar o pecado e voltar ao caminho da sensatez (Pv 2.19). Muitos que entraram por esse caminho não conseguiram voltar (Pv 15.22, 23).

Nossas igrejas colecionam o triste índice de segundos casamentos que começaram com relacionamentos de adultério, em que os adúlteros não “conseguiram” se arrepender e acharam melhor assumir o “novo amor”, rejeitando o anterior e casando-se novamente.
No livro de Malaquias lemos: “E vocês ainda perguntam: "Por quê? “É porque o Senhor é testemunha entre você e a mulher da sua mocidade, pois você não cumpriu a sua promessa de fidelidade, embora ela fosse a sua companheira, a mulher do seu acordo matrimonial.” (Ml 2.14 - Grifo do autor – Bíblia A Mensagem) Outrostextos (Ex 20:14; Hb 13:4).

5.Quais recomendações daria aos casais no intuito de ajudá-los a ficar prevenidos contra ciladas e tentações que podem acometê-los na caminhada?
Todo pecado é precedido por uma tentação e a infidelidade conjugal não é diferente. Para se manter fiel ao cônjuge, é necessário que marido e mulher aprendam a vencer a tentação antes de vencer o pecado. Algumas dicas importantes, Primeira - Jesus disse: “41 Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; na verdade, o espírito está pronto, mas a carne é fraca” (Mt 26:41). As nossas vitórias ou derrotas na vida são determinadas na mente, por isso temos que vigiar os nossos pensamentos. Nossas ações são determinadas por aquilo que domina nosso coração. (Fp 4:8) Segundo, o melhor momento para vencer a tentação é quando ela começa, por isso Jesus disse que o adultério nasce no coração e ali já constitui pecado. Quem batalha no coração e confessa as tentações, fica longe do pecado físico. Terceiro, o casal precisa construir um ambiente de confiança e transparência onde os dois possam confessar as tentações. Casais que levam a Palavra a sério, procuram andar na luz, prestam conta um para o outro; Quarto – o casal precisa colocar limites no celular, no uso das redes sociais, no carro, em casa e no trabalho. A Biblia diz: “Eu, a sabedoria, habito com a prudência, e possuo o conhecimento e a discrição.” (Pv 8:12)

6.E para quem está envolvido com a infidelidade e o adultério, quais conselhos daria?
A Biblia diz: “O que encobre as suas transgressões nunca prosperará, mas o que as confessa e deixa, alcançará misericórdia.” O caminho para a libertação do pecado de adultério, passa pelo arrependimento, ou seja, é necessário reconhecer o pecado, sentir tristeza pelo pecado, confessar e abandonar o pecado. (Pv 28:13)

Jesus mesmo, quando fala do adultério em Mateus 5.29 apresenta a saída: “Se o teu olho direito te faz tropeçar, arranca-o e lança-o de ti; pois te convém que se perca um dos teus membros, e não seja todo o teu corpo lançado no inferno”. A saída é cortar, evitar, romper, terminar, se afastar de toda e qualquer possibilidade de pecar novamente. O problema é o celular? Compre um dump-phone. É o WhatsApp troque o número e comece de novo. É o facebook, encerre a conta. É o colega de trabalho? Peça transferência ou demissão. É o vizinho? Mude o endereço. Todas as contas devem ter senhas conhecidas pelo cônjuge. O casal precisa prestar contas um ao outro e de preferência ter um casal de mentores. Corte, sem pena do pecado!

Para concluir: se você está envolvido, saiba que está em uma situação muito, mas muito difícil mesmo. Confesse o seu pecado a Deus, ao cônjuge e ao pastor. Aguente o tranco, pois as consequências serão dolorosas. Seja valente e não recue. Corte suas relações com a amante. Seja firme e duro. Não tenha pena dela. Tenha pena da sua esposa e faça o que a sua esposa pedir, como fez Abraão quando “disse, porém, Deus a Abraão: Não te pareça isso mal [...] causa da tua serva; atende a Sara em tudo o que ela te disser [...] (Gn 21.12). Foi assim que Abraão ficou somente com a sua esposa Sara. Faça acompanhamento, preste contas e Deus há de restaurar o seu casamento, apesar de você ter pisado na mina explosiva do adultério. Ele é poderoso para transformar o mau em bem.

7.Existe a possibilidade de cura para casais vitimados por esse mal? Quais passos dar?
A cura passa necessariamente pelo perdão. Quando há predisposição para pedir perdão e perdoar, a graça de Deus cura e restaura. Porém, é necessário que o casal compreenda que esse processo tem suas fases, a cura da ferida provocada pelo adultério não é de uma hora para outra, requer tempo. É muito importante que o casal seja acompanhado por conselheiros experientes que possam cuidar e orientá-los durante o processo de cura e restauração. No meu canal no You Tube eu trato em diversos vídeos sobre esse assunto, mas posso assegurar que há cura, sim. Tudo é possível ao que crê. Nosso Deus é especialista em tornar o mal em bem e usar as coisas loucas do mundo para mostrar o seu poder.

Mesmo assim, quem adulterou precisa levar a sério o pecado. Nada de tentar minimizar ou desculpar o adultério culpando o outro. Aprenda assumir 100% da culpa, como fez o rei Davi: “Pequei contra ti, contra ti somente, e fiz o que é mau perante os teus olhos, de maneira que serás tido por justo no teu falar e puro no teu julgar”. (Sl 51.4)

Aceite a dor e o sofrimento causado pelo seu pecado. Não reclame do ciúme do cônjuge traído, não reclame das cobranças, concentre-se e reconquistar a confiança que ficou em frangalhos através da decisão de só dizer a verdade. Volte a relacionar-se profundamente com Deus, dependa do Espírito Santo e creia que Ele fará a obra. Dedique-se a curar o seu cônjuge, a quem você aleijou.

Para quem foi traído, saiba que o desejo de mudar é primeiro passo da mudança e uma prova de amor. Perdoe e aguarde que ele reconquiste a sua confiança. Facilite, controle o seu ciúme e dependa de Deus, que é o único que pode mudar o coração do seu cônjuge arrependido. Deus há de fazer infinitamente mais do que tudo quanto pedimos ou pensamos. Tenha ânimo, pois o Senhor é maior que o pecado do seu cônjuge.

8.Uma mensagem final aos leitores.
O mundo pinta o adultério como um mal menor, um detalhe que acontece a todos, porém, a palavra de Deus aponta tal pecado como uma catástrofe. Aceitar as mentiras do mundo é o primeiro passo para o desvio. Escolha seus filmes, livros e amigos com cuidado. Atenha-se ao seu relacionamento com Deus. Faça da paz o seu termômetro e não se afaste da comunhão com o Corpo de Cristo.

Mantenha o relacionamento sempre agradável e romântico. Faça das pressões externas pretexto para se unir mais ainda. Seja humilde, confesse, peça perdão e perdoe sempre.

Lembre-se, os votos que fizemos no dia da cerimônia do nosso casamento são testados a todo momento em nossa vida conjugal. São votos que nos lembram de viver de acordo com os valores estabelecidos na Palavra de Deus. Quem ainda se recorda do: “prometo te amar...”? Amar antes de ser um sentimento, é um mandamento e uma decisão. Decisão de ser fiel à promessa que fez no dia do pacto e isso tem a ver com integridade de caráter. Não basta amar, é preciso ser íntegro na convivência com o cônjuge, lealdade até que a morte os separa. Que o Senhor abençoe o seu casamento hoje e sempre!

Deus abençoe sua casa!
Pastoral

 

Versiculos

Deuteronômio, 33:27 - O Deus eterno é a tua habitação e, por baixo de ti, estende os braços eternos; ele expulsou o inimigo de diante de ti e disse: Destrói-o.

Visite-nos

Brasil - São Paulo - SP
Endereço: R. Nova dos Portugueses, 483
(proximo a estação do metro Santana)
Bairro:  Santa Teresinha
Fone: 2236-0720
Email: contato@igrejaplenadagraca.com